06/06/2012

Paulo Paes e a pneumática dos balões
 

 

Balões politicamente corretos. Assim podem ser definidas as esculturas infláveis que o paraense Paulo Paes – residente no Rio de Janeiro desde o final dos anos 70 – apresenta até o dia 4 de maio no mezanino do Palácio Gustavo Capanema, no Centro do Rio. A exposição, intitulada Pneumática, é composta por objetos efêmeros construídos com recortes de papel de seda coloridos. É evidente a relação entre eles e os artefatos voadores produzidos pelos mestres baloeiros. Uma “profissão” que, diga-se de passagem, encontra-se ameaçada de extinção, dado o risco eminente que suas criações representam ao meio ambiente.

 

 

Sim, soltar balões é crime. Mas não nos parece a iniciativa de (re)valorização da artesania em torno da construção de tais artefatos, ainda hoje recorrentes no imaginário popular, sobretudo nos meses de junho e julho, apesar de proibidos em qualquer época do ano.

Um entusiasta desta “profissão”, e desta tradição, Paulo investe em construir balões como forma de reverenciar mestres baloeiros como o alfaiate Ivo Patrocínio, figura de destaque no subúrbio carioca, e uma de suas principais referências.

 

 

Foi através de Ivo Patrocínio que o artista  se deixou encantar pela prática de confeccionar e soltar balões, passando a transitar – como espectador e pesquisador – por este mundo periférico cheio de segredos, tradições urbanas, logísticas, transgressões e fundamentos – como dobrar, colar e calcular o molde.

Aos censores de plantão, um aviso: os balões de Paes – ainda que produzidos com o mesmo material (papel de seda e goma de arroz) – , são incapazes de voar. Inflados com auxílio de ventoinhas, ao contrário de buchas embebidas em material inflamável, os objetos são inofensivos.

 

Mas provocam o encantamento do espectador a medida em que ganham volume, adquirem peso e ocupam o espaço expositivo, provocando relações entre as cores e a vibração provocada por elas.

O exercício e as experiências para transformar o papel em volume flutuante se desdobram em ideias e conceitos de linguagem pessoal ao recombinar forma e cor, opacidade e luminosidade, e traz o objeto lúdico coletivo para o chão, impondo-lhe uma gravidade, sem deixar que perca sua grandeza, leveza e simbolismo.

Esta liberdade, ao agregar outras formas e códigos de associação estética e criação, não abandona, no entanto, o núcleo central, identificado por ele como uma “célula-tronco da cultura popular”, e faz do artista  uma espécie de extrativista urbano, artesão não especializado.

A exposição ganhou texto crítico de Luiz Camillo Osorio, crítico de artes, professor de Estética do departamento de Filosofia da PUC-RJ e curador do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM – Rio).



Fonte: SuperGiba

Link da matéria :http://www.supergiba.com/paulo-paes-e-a-pneumatica-dos-baloes/


 

06/06/2012

 

Recorde de lanternas flutuantes é quebrado



por Débora Nogueira

por Débora Nogueira

Neste último sábado, alguns romenos decidiram quebrar o recorde de maior número de lanternas flutuantes. Eles lançaram ao céu cerca de 12,700 lanternas – o recorde antigo era da Polônia, com 11mil lanternas.

Se o recorde já foi oficializado ainda não sabemos, mas as imagens produzidas durante o evento são impressionantes e geraram vários vídeos para o YouTube. Confira:

 

 

 

 


Fonte: BUZZ

Link da matéria :http://colunas.revistagalileu.globo.com/buzzimagens-incriveis-recorde-de-lanternas-flutuantes-e-quebrado/


01/06/2012

Londres ganha ponte suspensa por balões

 

Instalação assinada por artista francês faz parte da mostra Tatton Park Biennial, em Londres, e pode ser vista até 30 de setembro

Por Casa e Jardim Online
 
Divulgação
A Pont de Singe flutua sobre um lago, no Tatton Park, em Londres

Quem passar pelo parque Tatton, em Londres, nos próximos meses pode levar um susto ao se deparar com esta ponte, que parece ter saído de um sonho ou de um filme de fantasia. Suspensa por três balões enormes, ela fica sobre as águas de um lago no Jardim Japonês, no meio da área verde. A estrutura, é claro, não pode ser atravessada de verdade. Trata-se de uma instalação temporária, assinada pelo artista francês Olivier Grossetête. Ela faz parte da terceira edição da Tatton Park Biennial, uma mostra de arte contemporânea que acontece ao ar livre e vai até 30 de setembro.

A Pont de Singe reflete a arquitetura do espaço oriental em que foi inserida, dentro do parque. Os grandes balões brancos lembram as luminárias japonesas de papel de arroz. “É uma brincadeira que envolve design e engenharia. A ponte é leve e foi projetada para contemplação e não para ter uma função. O trabalho lembra o poder dos devaneios e possibilidade de eles se transformarem em realidade”, explica o site da mostra.

Divulgação
A instalação é do artista francês Olivier Grossetête

 

Divulgação
Versão anterior da instalação, exposta em 2007, na França

 

Fonte: Casa e Jardim

Link da matéria :http://revistacasaejardim.globo.com/Revista/Common/1,,EMI307450-17699,00.html


 

30/05/2012

 

Agentes da PRF apreendem balão de 19 metros da Dutra

 

Rio - A queda de um balão causou apreensão no Km 128 da Rodovia Presidente Dutra (BR-116), altura de Imbariê em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Agentes da Polícia Rodoviária Federal receberam um alerta da CRT, neste domingo, que vários carros e dezenas de pessoas se aglomeraram no acostamento da rodovia.

Na ação, os usuários que resgatariam o balão fugiram do local ao perceber a aproximação da polícia. O artefato caiu apagado, apesar das grandes dimensões, cerca de 19 metros de comprimento e 1,80 metros de boca. Foi necessário apoio do reboque da concessionária para retirá-lo do local. Ninguém foi preso.
 


Balão de 19 metros foi apreendido na Dutra | Foto: Divulgação

 

Fonte: O Dia Online

Link da matéria :http://odia.ig.com.br/portal/rio/agentes-da-prf-apreendem-balão-de-19-metros-na-dutra-1.446950


17/05/2012

 

 

 

Fonte: O Dia

Link da matéria :http://odia.ig.com.br/portal/conexaoleitor/click-do-leitor-o-perigo-dos-balões-1.440902


17/05/2012



 

 

23/04/2012

 

Balões são flagrados sobrevoando o Rio de Janeiro
 



Dois balões foram flagrados sobrevoando o Rio de Janeiro na manhã desta segunda-feira (23), feriado de São Jorge.

O primeiro flagrante foi feito em Bonsucesso, no subúrbio, conforme mostrou o Bom Dia Rio.

O outro balão foi visto caindo no telhado de uma casa perto da Linha Amarela.

Soltar balão é crime. A Lei 9.605 diz que provocar incêndio em florestas ou matas dá cadeia de dois a quatro anos. Já a pena para quem fabricar, vender, transportar ou soltar balões é de 1 a 3 anos, ou multa de R$ 1 mil a R$ 10 mil, ou ambas as penas, conforme o caso.

 

Disque Balão
Desde 2009, o Disque Denúncia (21 2253-1177) coloca à disposição da população o “Disque Balão”, com o objetivo de desestimular a ação de baloeiros, através de ações de prevenção e repressão. Segundo o site do Disque Denúncia, o serviço visa, ainda, promover a sensibilização para os riscos que o balão gera para conservação e preservação dos recursos ambientais e para a segurança humana.

 

 

Fonte: G1

Link da matéria :http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2012/04/baloes-sao-flagrados-sobrevoando-o-rio.html


19/04/2012

Festival de balões colore céu e cobra apuração de crime


 


Clique na imagem para acessar o vídeo.


 

Fonte: G1 - Paraná

Link da matéria :http:g1.globo.com/festival-de-baloes-colore-ceu-e-cobra-apuracao-de-crime


18/04/2012

Com pouco mais de 10 % dos ingressos, Palmeiras comemora 50 % da renda nas Quartas

 

Veja abaixo matéria retirada do site Esportes UOL

 



 

 

Fonte: Esportes Uol

Link da matéria :http://esporte.uol.com.br/2012/04/18/palmeiras-comemora-50-da-renda-nas-quartas.htm


18/04/2012

Balonismo - Vôo de Balão

 

A que ponto chegamos !


 

No Brasil, iniciou em 1708 com o Padre Bartolomeu de Gusmão. No início eram balões de ar quente passando mais tarde para hidrogênio, diminuindo assim os riscos de incêndio, tornando-se um esporte mais seguro.

 

 

 

No Brasil, iniciou em 1708 com o Padre Bartolomeu de Gusmão. No início eram balões de ar quente passando mais tarde para hidrogênio, diminuindo assim os riscos de incêndio, tornando-se um esporte mais seguro.

 

 

O vôo em balão permite a contemplação de um vasto horizonte num silêncio quase absoluto. É possível distinguir dois tipos vôo em balão: o vôo cativo (a subida e descida do balão é realizada na presença de um cabo de ligação) e o vôo livre onde a orientação faz-se através do arremesso do lastro (normalmente sacos de areia) ou então, aquecendo o ar contido no balão de maneira a fazê-lo subir até à altura de uma corrente de ar que se desloque na direção desejada.

 

 

As provas mais praticadas no Brasil

Estas são as provas mais praticadas pelos pilotos de balão a ar quente no Brasil, segundo a ABB (Associação Brasileira de Balonismo):

- Alvo declarado pelo juiz: levando em consideração os ventos que prevalecem na área, na hora da prova, o juiz indica os alvos que devem ser atingidos. O balonista deve jogar, o mais próximo possível do alvo, um saquinho com uma fita colorida e um número indicativo do balão. Ganha mais pontos quem chega mais próximo do alvo.

- Alvo declarado pelo piloto: nesta prova, antes da decolagem, o piloto indica ao juiz os alvos que pretende atingir. A pontuação tem critério igual a anterior.

- Fly in (Fly on): nas competições, geralmente todos os balonistas decolam do mesmo ponto. No Fly in, cada balonista escolhe o seu ponto de decolagem, rumando depois para um local central, onde estão os juizes e há um alvo a ser atingido. No Fly on o balonista segue depois para atingir um segundo alvo.

- Máxima distância: cada balonista só pode lançar sua marca após um determinado período de vôo. Ganha mais pontos o balonista que lançar sua marca mais distante do local de decolagem. Esta tarefa é feita em dias de ventos fortes.

- Mínima distância: tarefa normalmente feita em dias de vento fraco. O balonista só pode lançar sua marca após determinado período de vôo. Ganha mais pontos aquele que tiver percorrido a menor distância.

- Valsa da hesitação: nesta tarefa o piloto recebe a incumbência de atingir um entre dois alvos. Após a decolagem, ele escolhe o alvo em função dos ventos.

- Valsa da hesitação dupla: esta tarefa foi criada pelos balonistas brasileiros e introduzida no 3° Campeonato Brasileiro. O piloto decola e lança sua marca num alvo escolhido por ele. A pontuação é dada depois de medida as distâncias entre o ponto de queda da marca e o alvo mais próximo. Uma segunda marca é lançada depois e idêntica medição é feita em relação a outro alvo.

- Caça à raposa: esta tarefa não conta pontos em campeonatos. Um balão decola em vôo livre e passado certo prazo de tempo o juiz autoriza a decolagem dos demais, que devem persegui-lo. O balão raposa faz o possível para dificultar a perseguição. Ganha a prova o balonista perseguidor que pousar mais perto dele ou lançar sua marca mais próxima.

- Cotovelo: nesta tarefa, o balonista decola, voa para um alvo, atinge-o com a marca e depois, desviando o rumo, voa para um segundo alvo e joga outra marca. Ganha mais pontos o balonista que, nessa mudança de rumo, fizer um ângulo mais apertado.

- Vôo da chave: uma sacola com as chaves de um veículo é colocada sobre o ponto mais alto de um poste. Cada balonista, passando próximo ao poste, tem uma única oportunidade para pegar a maleta e ganhar a chave do carro oferecido como prêmio. Esta tarefa também não conta pontos em campeonatos.

- Múltiplos alvos determinados: o árbitro geral seleciona dois ou mais alvos fora do local da decolagem. Estes alvos estão normalmente de dois a cinco quilômetros de distância do lugar da decolagem. Os pilotos decolam e tentam manobrar os balões para que eles cheguem o mais próximo possível dos alvos, quando então deixam cair uma marca para identificação. A marca mais próxima ao centro vai determinar o vencedor.

- Prova de navegação convergente: os pilotos localizam uma área de dois a cinco quilômetros fora do local da decolagem, inflam seus balões e tentam pegar o melhor vento, para chegar ao alvo colocado no centro da área escolhida. A marca mais próxima ao centro do alvo determina o vencedor.

 

Equipamentos:

- Envelope;

- Maçarico;

- Cesto;

- Cilindro;

- Combustível;

- Ventoinha.

 

Locais para a prática:

- Região da Serra da Moeda - MG

- Vôo panorâmico em qualquer cidade do Paraná -PR

- Região de Seropédica -RJ

- Sobrevôo em Torres -RS

- Sobrevôo em Piracicaba, Sorocaba e Ribeirão Preto -SP


 

 

Fonte: O Ambiente Brasil

Link da matéria : http://ambientes.ambientebrasil.com.br/ecoturismo/eco-esportes/balonismo_-_voo_de_balao.html


04/04/2012

Click do Leitor: Tomara que a moda pegue

 

Rio -  Balões sem bucha chamaram a atenção de moradores do Cachambi neste fim de semana. 

 

Foto do leitor

Segundo os organizadores, os artefatos são enchidos de ar e se mantêm no céu pela energia solar. Tomara que a moda pegue, pois balões com fogo são risco ao meio ambiente.

 

Fonte: O Dia Online

Link da matéria : http://odia.ig.com.br/portal/conexaoleitor/click-do-leitor-tomara-que-a-moda-pegue-1.427247


 

23/03/2012

 

 

NOVA TENDÊNCIA

CAMPEONATO NOTURNO DE PIPAS

SÃO PAULO KITE IN NIGHT FEST

SÃO PAULO - MAIO 2012

" PIPAS COM SEGURANÇA"

EVENTO GRATUITO

 

                                     

No dia 26/05/2012, a partir das 19:00hs.,   Silvio Você e Equipe, sob o patrocínio da COATS CORRENTE, estarão realizando um EXÓTICO evento no MEMORIAL DA AMÉRICA LATINA  - São Paulo - SP. Trata-se do: SÃO PAULO KITE IN NIGHT FEST -  CAMPEONATO E REVOADA DE PIPAS E PAPAGAIOS NOTURNOS

NO campeonato  as categorias concorrentes serão  : CRIATIVIDADE  NOTURNA      BELEZA NOTURNA ,  DESTAQUES NOTURNOS  e ESCOLHA D PÚBLICO,    todas competindo na sua categoria, e tendo o tema: "PIPAS ILUMINADAS",    os ganhadores, receberão troféus (1º lugar) e medalhas (2º e 3º lugares), mais  prêmios e  brindes.

Alem do Campeonato teremos o evento: PIPAS COM  SEGURANÇA, que une o lazer gratuito a educação do público, quanto a soltura correta de pipas e papagaios, distribuindo mais de 2000 pipas com regras de segurança estampadas, carreteis de linha, rabiolas , teremos também sorteio de brindes para todos que estiverem presentes

O local do evento será no:  Memorial da América Latina - Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 - Barra Funda - São Paulo - SP.

Veja também em nosso site toda a nossa programação - www.pipas.com.br , e já estamos aceitando inscrições (totalmente gratuitas), para este campeonato, que irá  ILUMINAR e colorir o céu de S. PAULO.

Informações em nosso site , ou pelo tel (11) 5594-1482 - Equipe Silvio Você

 

 VEM AÍ O  SÃO PAULO KITE IN NIGHT FEST: Festival de pipas noturnas, prepare-se......

 

 
 

23/03/2012

 

Belgas continuam a prestar homenagens a crianças mortas em acidente na Suíça

 

Depois do terrível acidente rodoviário que recentemente aconteceu na Bélgica e deixou toda a população deste País de luto pela morte de 22 passageiros, sendo que 15 eram crianças e que regressavam de um belo dia passado na Suíça em que brincaram na neve, uma equipa da televisão portuguesa do canal 1 da (RTP-NOTICIAS) estando a acompanhar os momentos fúnebres, registrou no fim da sua reportagem, imagens de vários cidadãos belgas a lançarem balões durante a noite como forma de prestar homenagem e luto pelas pessoas desaparecidas. Dessa vez sem alegria, mas por um profundo silencio de tristeza e pezar, ao som dos sinos de uma igreja. Arrepiante!!! 


 

 

Clique na imagem para acessar o vídeo.

Link da matéria : http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=536632&tm=7&layout=122&visual=61&source=mail

 
08/03/2012

Esculturas de balões infláveis podem ser vistas no Palácio Capanema, no  Rio

“Pneumática”, do paraense Paulo Paes, fica em cartaz até maio

 

Tradição e contemporaneidade marcam a nova exposição do paraense Paulo Paes no Rio de Janeiro. Inaugurada na noite de 6 de março,  no Mezanino do Palácio Gustavo Capanema, “Pneumática” reúne dez esculturas gigantescas de balões de papel de seda, fruto da pesquisa junto a baloeiros das zonas norte e oeste da cidade sobre a arte e a técnica milenares da confecção desses artefatos. A exposição fica em cartaz até o dia 4 de maio, com entrada gratuita. A classificação é livre.

Contemplada pelo Prêmio Funarte de Arte Contemporânea 2010, “Pneumática” mostra o trabalho individual de Paulo Paes, que constrói, pacientemente, gomo a gomo, suas esculturas. Para o presidente da Funarte, Antonio Grassi, ao conceder esse prêmio a artistas que valorizam a cultura popular, a Fundação Nacional de Artes estimula a multiplicidade de linguagens e tendências em suas mais variadas modalidades de manifestação, contribuindo para a difusão, o fomento e a reflexão das artes visuais.

Bebeto Alves, diretor do Cemus, e Xico Chaves, diretor do Ceav

Bebeto Alves, diretor do Cemus, e Xico Chaves, diretor do Ceav

Segundo o diretor do Centro de Artes Visuais da Funarte, Xico Chaves, o trabalho de Paulo Paes consegue trazer o coletivo para o individual. “Nos infláveis, a navegação do objeto, das cores e dos sentidos, o popular e o contemporâneo flutuam no mesmo espaço. A vivência com o balonismo, como espectador e pesquisador, possibilitou ao artista uma liberdade de expressão e associação mais extensa. Trazer para a arte a vida ou levar para a vida a arte faz parte da trajetória de Paulo Paes”, conclui Xico.

A criação e a construção da obra “Pneumática”

Ao se apropriar das bases técnicas da arte dos balões, Paes mergulha nas questões puramente espaciais e pictóricas envolvidas, criando objetos infláveis, de caráter efêmero, feitos em papel de seda, dissociados da função original de artefato voador. Seus balões são seguros, pois não usam fogo para serem inflados e não voam. São esculturas de escalas variadas, insufladas por ventoinhas, que ao se encherem de ar ganham volume, adquirem peso e ocupam um lugar no espaço, sempre em nome de uma potência estética que se dá nas relações e na vibração das cores.

Desse modo, “Pneumática” resgata e preserva fundamentos tecnológicos e elementos visuais de uma tradição enraizada na memória coletiva, que está ameaçada de extinção por causa dos riscos que a atividade de soltar balões representa. A exposição cria, assim, uma alternativa para a sobrevivência dessas matrizes culturais populares, através de uma produção autoral de arte contemporânea.

Sua afinidade imediata foi com as técnicas e os materiais utilizados. Além disso, a abordagem estética era bastante similar a algumas referências que o autor trazia na memória: a visualidade oriental, o lançamento executado como em um ritual, as sutilezas da engenharia, o êxtase coletivo provocado pelo balão como objeto estético.

Paulo Paes

Sobre o artista

Paulo Paes nasceu em Belém do Pará, onde viveu até os 17 anos. Em 1978, mudou-se para o Rio de Janeiro, ingressando na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, onde permaneceu como aluno e, posteriormente, como professor até 1992. Participou de diversas exposições individuais e coletivas. Em 1984, participou da coletiva “Como vai você, geração 80?”, no Rio de Janeiro. Em 1991, foi selecionado para expor na 21ª Bienal Internacional de São Paulo. Em 1992, concebeu e coordenou, em parceria com Ricardo Basbaum e Ricardo Sepulveda, a exposição coletiva ”Eco-Sensorial”, no Rio de Janeiro.


 

“Pneumática”, de Paulo Paes

Contemplada pelo Prêmio Funarte de Arte Contemporânea 2010

Visitação: De 7 de março a 4 de maio de 2012, segunda a sexta, das 9h às 18h

Mezanino do Palácio Gustavo Capanema – Fundação Nacional de Artes (Funarte)

Rua da Imprensa, 16 – Centro, Rio de Janeiro

Entrada gratuita
Classificação etária: Livre

 

 

Mais informações

Centro de Artes Visuais (Ceav)
Tel: (21) 2279-8090
Fax: (21) 2279-8089

cavisuais@funarte.gov.br

     
     

 

Link da matéria : http://www.funarte.gov.br/artes-visuais/esculturas-de-baloes-inflaveis-podem-ser-vistas-no-palacio-capanema-no-rio/


17/02/2012

Balão cai em rua perto do Cemitério Municipal - PR

 

Clique na imagem para acessar o vídeo.

 

Fonte: Paraná TV

Link da matéria : http://globotv.globo.com/rpc/balao-cai-em-rua-perto-do-cemiterio-municipal/1817388/


25/01/2012

Baloeiros aproveitam feriado para soltar balões em SP

 

Um grupo de homens se reuniu na região da Vila Formosa para soltar balões. A prática de soltar balões é perigosa e proibida.

 

Fonte: Portal R7

Link da matéria : http://rederecord.r7.com/video/baloeiros-aproveitam-feriado-para-soltar-baloes-em-sp9792bbc790865a2396/


24/01/2012

Dez balões são flagrados na zona oeste do Rio

Em pouco menos de meia hora, a equipe de reportagem da Record flagrou dez balões por bairros da zona oeste do Rio. O grande número de balões sugeriu um campeonato.

 

Fonte: Portal R7

Link da matéria : http://videos.r7.com/dez-baloes-sao-flagrados-na-zona-oeste-do-rio/idmedia/4f1d6538e4b012af328422e0.html


24/01/2012

PM prende baloeiros no Jardim Guarani

 

Na manhã de Domingo (22),  policiais militares receberam a informação de que um balão havia caído em uma chácara as margens do quilômetro 104 da BR-77, Jardim Guarani e algumas pessoas tentavam resgatá-lo.

 

Chegando ao local os policiais sob o comando do sargento Moraes acabaram prendendo oito homens e apreendendo uma adolescente de 17 anos e parte do balão, que por muito pouco não caiu sobre uma casa. A dona da residência, disse que um dos detidos chegou a ameaçar ela com uma faca, quando a mesma tentou impedir que as pessoas invadissem sua propriedade.

A parte inferior do balão, onde são colocados os fogos de artifício conseguiu ser levada por outros indivíduos.

Policiais encontraram com os detidos aparelhos celulares e uma filmadora, equipamentos estes que tinham várias imagens de apologia de outros balões. Todos os presos foram conduzidos à Delegacia de Polícia Civil juntamente com os proprietários da chácara onde foi elaborado Termo Circunstanciado.

 

 

Fonte: Folha de Campo Largo

Link da matéria : http://www.folhadecampolargo.com.br/vernoticia.php?id=16613


24/01/2012

Balão no Big Brother Brasil 2012

 

Jonas e Fabiana observam um balão no céu

 

"Toda coisa é uma novidade para nós aqui", comenta Jonas para Fabiana após avistar um balão que solta fogos.

Eles estão na área externa da casa e chamam atenção de outros brothers. João Carvalho é o único que se aproxima deles e pondera: "É proibido soltar balão.".

 

 

Assista ao vídeo clicando na imagem abaixo

Após acessar basta dar play para assistir ao vídeo

 

Fonte: TVG Globo

Link da matéria : http://tvg.globo.com/bbb/bbb12/noticias/noticia/2012/01/jonas-e-fabiana-observam-um-balao-no-ceu.html


24/01/2012

CONFESSO: Eu já soltei balão

 

 

“Balão”, do pintor Fulvio Pennachi (1905-1992): celebração do passado

 

Na madrugada passada, um incêndio na Ceasa, em Irajá, destruiu cerca de 200 metros quadrados de caixotaria. Ninguém ficou ferido. Os principais suspeitos pelo preju: dois balões que, segundo moradores da região, caíram no local.

Taí: não tem diferença entre balão e bala perdida, mas neguinho ainda acha que balão é brincadeira. Por outro lado, essa notícia me fez pensar que, apesar dos pesares (como foi o caso do assassinato do turista português, comentado aqui no blog ontem e hoje), existem algumas coisas que realmente melhoraram nesta cidade, neste país e neste mundo.

Por exemplo: ainda tem gente que solta balão, mas pelo menos isso hoje é condenável pelo senso comum – e um crime, segundo as nossas leis. Há 25 anos, me lembro bem, soltar balão era literalmente brincadeira de criança. Nas festas de São João da minha casa, em Irajá – lembro-me de umas ótimas também no condomínio onde ainda moram os meus padrinhos, em Jacarepaguá – sempre aparecia um tio com estalinhos, bombinhas e… balões japoneses! (quem aí lembra deles?)

Feitos com arame e papel de seda (tenho tatuado na memória o desenho carimbado com tinta vermelha que os adornava), os balões japoneses eram soltos com a ajuda das crianças. Os pequenos seguravam o balão enquanto o tio acendia a bucha cheirando a querosene e pingando fogo. Os balões japoneses eram miúdos, não iam muito longe não, mas tinham o suficiente para fazer uma merda: fogo (outra lembrança: eles prendendo nos galhos das mangueiras da rua e a molecada metendo pedra em cima).

Ou seja, uma brincadeira impensável nos dias de hoje. Eu mesmo nunca convidaria meus filhos e sobrinhos para soltar balões, e nem o meu tio faria isso com os netos dele. Por quê? Porque, na pior das hipóteses, é ilegal e faz parte do bom senso: soltar balão é uma idiotice e quem faz isso é um idiota.

Sinal de que a gente evolui, aos trancos e barrancos, e que ainda é possível ter esperanças em relação ao futuro.
Acho, por exemplo, que a minha geração é menos preconceituosa que a da minha mãe em relação a um monte de coisas, que os meus pais foram menos preconceituosos que os meus avós, e que no futuro – se Deus quiser – vou levar muito pito dos meus filhos: “Pô, velho: se liga, abre essa cabeça!” – ou que diabo vão dizer essas crianças, se é que elas ainda vão falar ou só mandar torpedo.

 

 

Fonte: Metblogs

Link da matéria : http://rio.metblogs.com/2006/08/15/confesso-eu-ja-soltei-balao/



SÃO PAULO – 21/01 Sábado

Mairiporã

* Sol com muitas. Períodos nublado, com chuva a qualquer hora

* Máxima 26ºC        Mínima 18°C

 horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

 velocidade do vento (km/h)

7.2

6.84

7.2

3.96

5.4

8.64

 umidade relativa (%)

88

91

84

82

92

96

 

SÃO PAULO  – 22/01 Domingo

Mairiporã

* Sol com muitas nuvens. Períodos nublado, com chuva a qualquer hora.

* Máxima 26ºC        Mínima 17°C

horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

velocidade do vento (km/h)

6.84

8.64

10.8

10.44

9.36

10.8

umidade relativa (%)

90

93

93

91

95

97

  


SÃO PAULO – 21/01 Sábado

Santa Isabel

* Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.

* Máxima 26ºC        Mínima 18°C

horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

velocidade do vento (km/h)

7.2

6.84

7.2

3.96

5.4

8.64

umidade relativa (%)

88

91

84

82

92

96

 

SÃO PAULO – 22/01 Domingo

Santa Isabel

* Sol com muitas nuvens. Períodos nublado, com chuva a qualquer hora.

* Máxima 26ºC        Mínima 17°C

horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

 

velocidade do vento (km/h)

6.84

8.64

10.8

10.44

9.36

10.8

 

umidade relativa (%)

90

93

93

91

95

97

 

 


SÃO PAULO – 21/01 Sábado

Igaratá

* Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.

* Máxima 26ºC        Mínima 18°C

 

horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

velocidade do vento (km/h)

6.84

7.2

6.84

2.16

3.96

7.56

umidade relativa (%)

84

89

84

82

90

95

 

SÃO PAULO – 22/01 Domingo

Igaratá

* Sol com muitas nuvens. Períodos nublado, com chuva a qualquer hora.

* Máxima 26ºC        Mínima 17°C

horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

velocidade do vento (km/h)

6.48

7.92

11.16

11.52

11.52

11.52

umidade relativa (%)

88

91

91

90

94

95

 


RIO DE JANEIRO – 21/01 Sábado

Rio de Janeiro

* Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.

* Máxima 35ºC        Mínima 21°C

 horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

 velocidade do vento (km/h)

9.72

8.64

2.52

10.08

11.88

6.84

 umidade relativa (%)

72

54

38

37

54

70

 

RIO DE JANEIRO – 22/01 Domingo

Rio de Janeiro

* Sol com muitas nuvens. Períodos nublado, com chuva a qualquer hora.

* Máxima 34ºC        Mínima 21°C

horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

velocidade do vento (km/h)

8.28

9.36

5.76

8.28

10.8

6.84

umidade relativa (%)

72

59

45

43

56

68

 


PARANÁ – 21/01 Sábado

Curitiba

* Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.

* Máxima 25ºC        Mínima 18°C

 horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

 velocidade do vento (km/h)

3.24

7.92

8.64

6.12

11.88

8.64

 umidade relativa (%)

98

73

54

51

69

93

 

PARANÁ – 22/01 Domingo

Curitiba

* Sol com muitas nuvens. Períodos nublado, com chuva a qualquer hora.

* Máxima 28ºC        Mínima 18°C

horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

velocidade do vento (km/h)

2.88

2.16

2.52

7.56

12.96

8.64

umidade relativa (%)

98

84

56

53

68

90

 

Fonte: Clima Tempo 


11/01/2012

Um balão que não pega fogo !

 

Amado por muitos e discriminado por quem vê no ‘hobby’ um perigo, os balões ganharam uma nova versão que pode diminuir os riscos de incêndios, o que o faz ser proibido no Brasil.

Denominado balão ecológico, a nova versão não tem bucha e sobe impulsionado por ar quente. Depois de ser inflado por um maçarico, o balão alcança alturas com a ajuda do calor do sol. Porém, apesar da certeza que sem fogo os problemas diminuem, há algumas correntes que ainda discutem sobre a legalização dessa nova prática.

A forma de confecção dos balões é praticamente a mesma, com a utilização de materiais como papel e cola. Uma das poucas mudanças fica em cima do balão, onde é colocado um papel de cor escura para absorver o calor. Em alguns casos, a boca do balão é feita de bambu e não de ferro para diminuir o peso. O sol é um elemento básico para que o novo balão alcance voo.

“Há muito tempo estamos observando várias ações para criar um balão que não utilizasse fogo para subir. Observamos que isso seria possível através do ar quente, sem a necessidade de bucha. Só temos que diminuir o peso sobre ele, para que suba. Esse balão consegue chegar até mais longe do que o tradicional. Por causa disso, acaba ficando mais tempo no ar”, explicou o diretor do grupo Sociedade Amigos do Balão, Reginaldo Melo, conhecido com Naldo, do Arraiá da Saudade.

O grupo é responsável pela organização de festivais de balões ecológicos no Rio e em outros estados. Um evento desse porte estava marcado para ontem, no Campo do Cordeiros, em Santa Izabel, São Gonçalo. Porém, dificuldade nas autorizações, local de difícil acesso, espaço reduzido e condição climática duvidosa, impediram o adiamento do festival. Ainda não há uma definição sobre a nova data e lugar.

Contra - De acordo com o sub-comandante do Batalhão Florestal do Rio de Janeiro, major Alessandro Raggio, o órgão não liberou o festival por conta dos males que o balão ecológico pode causar às aeronaves. “O balão que eles chamam de inofensivo, não é tão inofensivo assim. Mesmo sem fogo, o balão sobe bem alto, o que pode trazer perigos para aviões e helicópteros”, disse o major.

A reportagem de O SÃO GONÇALO entrou em contato com a assessoria de imprensa da Infraero, mas foi informada de que o órgão responsável seria o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). A reportagem enviou um email para o Cenipa, mas até o fechamento da edição não obteve resposta.

Bloco em São Gonçalo

Para promover o balão ecológico e acabar com a discriminação contra os baloeiros, o grupo Sociedade Amigos do Balão apoiou a criação de um bloco de Carnaval que percorre as ruas do Barro Vermelho, em São Gonçalo. Em seu segundo ano, o bloco vai sair no sábado, dia 11.

De acordo com o presidente do bloco, Anselmo Brito, o Moca, a ideia é justamente divulgar o balão ecológico. “Decidimos fazer esse bloco para divulgar o balão ecológico e assim acabar com a má fama. Esse ano a divulgação na internet está muito boa. Temos apoio de pessoas de vários estados do Brasil e também do exterior, principalmente de Portugal. No festival do ano passado conseguimos arrecadar 10 toneladas de alimentos e levamos para as vítimas da tragédia da Região Serrana”, disse Moca.

Pena por crime pode chegar a três anos
Mesmo sendo uma tradição que passa de pai para filho, soltar balões com bucha é crime. A Lei 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, proíbe a fabricação, a venda, o transporte e a soltura de balões que possam provocar incêndios nas florestas e demais formas de vegetação, em áreas ou qualquer tipo de assentamento urbano. A pena para este crime é a detenção de um a três anos, multa ou ambas. Existem dois tipos de multa, a pena que é aplicada pelo juiz, de R$ 30 a R$40, e a administrativa, que é imposta pelos órgãos ambientais, seu valor varia de R$ 1 mil a R$ 10 mil por balão apreendido.

 

Link da matéria : http://www.osaogoncalo.com.br/site/geral/2012/1/16/36203/um+bal%C3%A3o+que+n%C3%A3o+pega+fogo


 

11/01/2012

 

Polícia Florestal encontra balões em São Gonçalo (RJ)

 

Homens fugiram ao avistarem os policiais

Polícia flagra baloeiros em São Gonçalo, mas homens fogem antes de serem presos (Foto: Divulgação/Polícia Florestal)

Uma equipe do Batalhão de Polícia Florestal e de Meio Ambiente encontrou neste domingo (23) dois balões de aproximadamente dez metros de altura, em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio de Janeiro. Soltar balões é crime ambiental.

Os homens que preparavam os balões fugiram ao avistarem a equipe da polícia. O material foi recolhido e encaminhado para 75ª Delegacia de Polícia (Rio do Ouro).

 

Fonte: R7

Link da matéria : http://noticias.r7.com/cidades/noticias/policia-florestal-encontra-baloes-em-sao-goncalo-rj-20100523.html


 

11/01/2012

 

Queda de balão quase provoca um grande incêndio na Trombini

 

 

A queda de um balão gigante, de cerca de 15 metros de comprimento, quase provoca um grande incêndio, neste domingo pela manhã, nas unidades industriais da Trombini, em Curitiba (uma das principais fabricantes de papel e embalagens de papelão ondulado e de sacos de papel do Brasil). Por sorte, o balão gigante enroscou uma árvore, na portaria da empresa, e se queimou, com o controle do fogo feito pela brigada de incêndio da Trombini. Baloeiros tentaram, inclusive, invadir a empresa, para pegar a bucha

do balão, mas foram contidos pela segurança da Trombini.
 

"Foi por pouco que este balão não causou uma tragédia de grande vulto, de enormes proporções, pois poderia ter atingido tanto a nossa indústria, que trabalha com papel e papelão, como os parques do Bariguí e Tinguí, que ficam ao lado de nossas unidades", comentou Renato Trombini, presidente da empresa,  Trombini salientou ainda que "um balão deste porte não poderia passar sem ser percebido, pelos céus de Curitiba, e deveria ter sido acompanhado pelas autoridades policiais, pois é sabido que os baloeiros acompanham os seus balões e seria uma oportunidade para prendê-los. Um balão deste porte, com certeza, colocou em risco, também os aviões que circularam naquela rota, neste domingo. Soltar balões é crime, proibido por lei, e é um risco para a cidade toda. Felizmente, este balão gigante enroscou numa árvore, há menos de 100 metros de nossas unidades industriais e a 20 metros de nossa sede administrativa".
 

 

 

Fonte: Hora News

Link da matéria : http://juk.horahnews.com.br/2010_12_12_archive.html


 

SÃO PAULO – 07/01 Sábado

Igaratá

*Sol e aumento de nuvens pela manha. Pancadas de chuva a tarde.

* Máxima 28ºC        Mínima 17°C

 horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

 velocidade do vento (km/h)

3.24

4.32

5.4

12.96

19.8

12.6

 umidade relativa (%)

92

68

48

48

67

84

 SÃO PAULO – 08/01 Domingo

Igaratá

*Sol com muitas nuvens. Pancadas de chuva a tarde.

* Máxima 26ºC        Mínima 18°C

 horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

 velocidade do vento (km/h)

7.2

9.72

10.44

16.2

20.16

11.52

 umidade relativa (%)

100

77

49

50

69

90

 

SÃO PAULO – 07/01 Sábado

Santa Isabel

*Sol e nuvens pela manha. Pancadas de chuva a tarde e a noite.

* Máxima 29ºC        Mínima 18°C

 horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

 velocidade do vento (km/h)

3.24

4.32

5.4

12.96

19.8

12.6

 umidade relativa (%)

92

68

48

48

67

84

 SÃO PAULO – 08/01 Domingo

Santa Isabel

*Sol com muitas nuvens. Pancadas de chuva a tarde e a noite.

* Máxima 27ºC        Mínima 19°C

 horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

 velocidade do vento (km/h)

7.2

9.72

10.44

16.2

20.16

11.52

 umidade relativa (%)

100

77

49

50

69

90

 

SÃO PAULO – 07/01 Sábado

Mairiporã

*Sol e nuvens pela manha. Pancadas de chuva a tarde e a noite.

* Máxima 29ºC        Mínima 18°C

 horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

 velocidade do vento (km/h)

3.24

4.32

3.96

10.08

17.28

12.96

 umidade relativa (%)

94

69

49

47

68

86

 SÃO PAULO – 08/01 Domingo

Mairiporã

*Sol com muitas nuvens. Pancadas de chuva a tarde e a noite.

* Máxima 27ºC        Mínima 18°C

 horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

 velocidade do vento (km/h)

10.08

11.16

9.72

14.04

18.36

12.24

 umidade relativa (%)

99

76

50

49

66

89

 

PARANÁ – 07/01 Sábado

Curitiba

* Sol com muitas nuvens durante o dia. Períodos nublado, com chuva a qualquer hora.

* Máxima 28ºC        Mínima 17°C

 horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

 velocidade do vento (km/h)

3.24

4.68

6.48

11.52

15.84

11.88

 pressão (hPa)

1013

1013

1013

1012

1013

1015

 PARANÁ – 08/01 Domingo

Curitiba

*Sol com muitas nuvens durante o dia. Períodos nublado, com chuva a qualquer hora.

* Máxima 24ºC        Mínima 16°C

 horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

 velocidade do vento (km/h)

8.28

12.24

15.84

19.08

18.72

12.6

 umidade relativa (%)

98

76

60

60

67

95

 

 RIO DE JANEIRO – 07/01 Sábado

Rio de Janeiro

*Chuvoso durante o dia e a noite.

* Máxima 28ºC        Mínima 20°C

 horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

 velocidade do vento (km/h)

2.52

2.88

6.84

13.68

9.72

4.68

 pressão (hPa)

1010

1011

1010

1009

1010

1012

 RIO DE JANEIRO – 08/01 Domingo

Rio de Janeiro

*Sol com muitas nuvens durante o dia. Períodos nublado, com chuva a qualquer hora.

* Máxima 29ºC        Mínima 19°C

 horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

 velocidade do vento (km/h)

5.4

2.52

7.92

15.12

11.88

5.76

 umidade relativa (%)

87

65

50

57

74

87

 

Fonte: Clima Tempo 


 

06/01/2012

 

Pm acaba com ¨farra¨ de baloeiros em Iraborai

 

Policias do Serviço Reservado do Batalhão Florestal e do Meio Ambiente (BFMA) prenderam em flagrante, na manhã deste domingo (24), 13 pessoas que se preparavam para soltar balões na Rua Flávio Vasconcelos, na Reta Velha, em Itaboraí. 

De acordo com os militares, eles receberam a denúncia, ainda de madrugada, e seguiram para o local, que é cercado de área verde. Por volta das 6h30, quando os baloeiros já haviam acendido o maçarico para acender a bucha do balão, os suspeitos foram surpreendidos pelos PMs. O grupo foi conduzido à 71ª DP (Itaboraí). 

Com eles foram apreendidos um balão de 12 metros, buchas, maçaricos, bandeira com 50 metros, além de uma cangalha com fogos de artíficios. Após prestarem depoimentos, os suspeitos foram liberados e o material apreendido.

Fonte: O São Gonçalo

Link da matéria : http://www.jorsg.com.br/site/pol%C3%ADcia/pm+acaba+coarra%E2%80%99+de+baloeiros+em+itabora%C3%AD


 

06/01/2012

 

Polícia detém quatro baloeiros na zona oeste de São Paulo

 

Policiais militares detiveram quatro baloeiros na Alameda Barros, na região da Barra Funda, zona oeste de São Paulo, por volta da 1h desta terça-feira. Um balão de aproximadamente quatro metros foi apreendido com o grupo.

A polícia recebeu uma denúncia de roubo pelo 190, mas quando chegou ao local encontrou os quatro baloeiros fugindo com um balão que havia caído no telhado de uma agência bancária.

Dois homens foram detidos na rua Gabriel dos Santos e outros dois na rua Capistrano de Abreu. Eles foram levados à Delegacia de Crimes Ambientais e só serão liberados se pagarem a fiança de R$ 545, cada um.

 

Fonte: Bol Notícias

Link da matéria : http://noticias.bol.uol.com.br/brasil/2011/11/22/policia-detem-quatro-baloeiros-na-zona-oeste-de-sao-paulo.jhtm


 

06/01/2012.

 

Polícia Ambiental prende 10 baloeiros em Campo Magro

 

 

Um grupo de dez integrantes da turma de baloeiros "Tudo Nosso" foi preso na manhã deste domingo (5), durante a operação "Balão de Pedra", realizada pelo Batalhão de Polícia Ambiental (BPAmb/FV) em Campo Magro, na região metropolitana de Curitiba (RMC). A PM recebeu por telefone denúncias de que alguns grupos de baloeiros estariam utilizando pedreiras daquele município para soltar balões.

Foram presos nove homens e uma mulher, e apreendidos um balão de 12 metros, um balão guia (que serve para verificar a direção do vento), uma cangalha de fogos de artifício, uma bucha de combustão do balão (tocha), um maçarico e um botijão de gás. O grupo utilizava três veículos: uma VW/Santana Quantum, um Fiat/Palio e uma caminhoneta Mitsubishi Triton.

"O grupo foi abordado por volta das 7h30 numa pedreira desativada da cidade, no momento em que se preparava para soltar um balão", disse o comandante do BPAmb, tenente-coronel Daniel Jacinto Berno. A operação, que coincidiu com o Dia Mundial do Meio Ambiente, demonstra a preocupação da Polícia Ambiental em realizar ações eficazes de proteção ao ecossistema no Paraná.

Todos os presos receberam autuação administrativa (multa) no valor de R$ 2 mil cada um, e juntamente com os materiais apreendidos foram conduzidos para Delegacia de Campo Magro, onde foram autuados em flagrante delito pelo crime de soltura de balões. O crime está previsto no artigo 42 da Lei nº 9.605/98 (Crimes Ambientais), que prevê pena de detenção de um a três anos e/ou multa.

Denúncias sobre o assunto podem ser feitas pelo telefone 0800 643-0304.

 

Fonte: O Diário.com

Link da matéria : http://londrina.odiario.com/policia/noticia/429148/policia-ambiental-prende-10-baloeiros-em-campo-magro/


 

28/12/2011.

 

Polícia apreende 15 balões em Jacarepaguá, no Rio

 

Denúncia anônima levou agentes até casa no Pechincha, na Zona Oeste.
Um suspeito foi encontrado no local e levado para a 41ª DP (Tanque).

 

A Polícia Militar apreendeu 15 balões prontos, sete semiprontos e grande quantidade de material usado para a fabricação de mais balões, na manhã desta terça-feira (27), numa casa do bairro da Pechincha, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio.

Policiais do Batalhão de Policiamento Florestal e de Meio Ambiente (BPFM) chegaram ao local por meio de denúncia anônima. Um homem que estava na casa foi detido e levado para a 41ª DP (Tanque) para prestar depoimento.

Segundo a polícia, muitas pessoas aproveitam o réveillon para soltar os balões por acharem que durante este período a fiscalização não é tão intensa.

“Eles aproveitam o final de ano porque acham que durante o réveillon a polícia está preocupada com ocorrências consideradas mais importantes”, explica o sargento Wellington Medeiros.

O suspeito detido poderá responder por crime contra o meio ambiente e se for condenado pode pegar até 2 anos de prisão. Se for réu primário, o homem prestará serviços à comunidade.

 

Fonte: G1

Link da matéria : http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2011/12/policia-apreende-15-baloes-em-jacarepagua-no-rio.html



SÃO PAULO – 17/12 Sábado

São Paulo

*Sol com algumas nuvens, não chove

* Máxima 29ºC        Mínima 18°C

Horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

Velocidade do vento (km/h)

11.88

14.4

16.56

16.2

12.24

3.96

Umidade relativa (%)

68

48

38

31

31

40

 

Igaratá

*Sol com algumas nuvens, não chove

* Máxima 30ºC        Mínima 17°C

Horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

Velocidade do vento (km/h)

10.8

14.4

17.28

17.28

14.04

4.68

Umidade relativa (%)

72

52

44

39

38

46

 

Mairiporã

* Sol e aumento de nuvens de manhã.

* Máxima 30ºC        Mínima 17°C

Horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

Velocidade do vento (km/h)

10.08

13.32

16.56

15.84

11.88

5.04

Umidade relativa (%)

74

56

48

41

40

47

 

Santa Isabel

* Sol com algumas nuvens, não chove.

* Máxima 31ºC        Mínima 18°C

Horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

Velocidade do vento (km/h)

10.8

14.4

17.28

17.28

14.04

4.68

Umidade relativa (%)

72

52

44

39

38

46

 


SÃO PAULO – 18/12 Domingo

São Paulo

* Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e a noite

* Máxima 30ºC        Mínima 19°C

Horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

Velocidade do vento (km/h)

9.72

9.72

11.16

11.16

6.84

1.8

Umidade relativa (%)

73

53

37

34

39

53

 

Igaratá

* Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e a noite

* Máxima 30ºC        Mínima 18°C

Horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

Velocidade do vento (km/h)

8.64

10.08

11.16

12.96

10.8

1.44

Umidade relativa (%)

78

61

43

35

36

52

 

Mairiporã

* Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e a noite

* Máxima 31ºC        Mínima 18°C

Horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

Velocidade do vento (km/h)

8.64

9.72

11.52

12.96

11.16

1.44

Umidade relativa (%)

82

65

46

40

41

52

 

Santa Isabel

* Sol e aumento de nuvens pela manhã. Pancadas de chuva à tarde e a noite

* Máxima 31ºC        Mínima 18°C

Horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

Velocidade do vento (km/h)

10.8

14.4

17.28

17.28

14.04

4.68

Umidade relativa (%)

72

52

44

39

38

46

 

 


RIO DE JANEIRO – 17/12 Sábado

* Sol e aumento de nuvens pela manhã. Pancadas de chuva à tarde e a noite

* Máxima 31ºC        Mínima 20°C

Horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

Velocidade do vento (km/h)

8.28

6.48

3.24

10.44

8.64

5.04

Umidade relativa (%)

77

60

43

44

62

81

 

 


RIO DE JANEIRO – 18/12 Domingo

*Sol com muitas nuvens durante o dia. Períodos nublados com chuva a qualquer hora.

* Máxima 29ºC        Mínima 21°C

Horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

Velocidade do vento (km/h)

9.36

10.8

5.4

4.32

6.12

9.72

Umidade relativa (%)

73

56

45

46

57

65

 

 


CURITIBA – 17/12 Sábado

* Sol e aumento de nuvens pela manhã. Pancadas de chuva à tarde e a noite

* Máxima 28ºC        Mínima 16°C

Horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

Velocidade do vento (km/h)

9.36

14.04

15.84

15.84

13.68

5.04

Umidade relativa (%)

82

62

43

31

30

46

 

 


CURITIBA – 18/12 Domingo

* Sol e aumento de nuvens pela manhã. Pancadas de chuva à tarde e a noite

* Máxima 29ºC        Mínima 16°C

Horário

06h

09h

12h

15h

18h

21h

Velocidade do vento (km/h)

8.28

11.88

15.12

15.84

12.6

2.88

Umidade relativa (%)

82

61

41

30

32

48

Fonte: Clima Tempo 


BALOEIROS DESAFIAM A LEI ATÉ NA INTERNET

 

Eles não conseguem esconder a excitação ao ver o balão se aproximando do chão. A mesma alegria na hora de fabricar e soltar o balão em forma de um palácio de Bagdá, de 19 metros de altura, é percebida na hora de unir os amigos e colegas de rua para partirem em mais uma expedição de resgate do artefato voador que caiu antes do tempo. Eles partem em carros, motocicletas ou mesmo a pé. Lembram aqueles companheiros da infância ou da adolescência, em brincadeiras aparentemente inocentes, sem a presença das meninas. Um espécie de Clube do Bolinha do crime.

A perigosa brincadeira – que põe em risco o meio ambiente e até mesmo as pessoas, como ficou comprovado no incêndio do Morro dos Cabritos, na Zona Sul do Rio – é o combustível de gerações de jovens das periferias das grandes cidades brasileiras, envolvidos em mais uma atividade proibida desde 1998. A lei número 9.605, de 1998, a chamada Lei de Crimes Ambientais, passou a proibir “a fabricação, venda, transporte e a soltura de balões que possam provocar incêndios nas florestas e demais formas de vegetação, em áreas ou qualquer tipo de assentamento urbano.”

Com o incêndio do Morro dos Cabritos e a consequente repercussão negativa desse episódio, os jovens transgressores da lei se consideram vítimas de mais uma perseguição. Ao mesmo estilo dos que fazem pichações, dos que lutam pela legalização da maconha, daqueles que se rebelam contra a proibição de bailes funk com apologia a crimes como o tráfico de drogas e de outros que resistem à fiscalização da Lei Seca, que proíbe a ingestão de álcool por motoristas. É uma juventude que se sente reprimida porque as leis a impedem de se expressar e praticar as atividades que mais lhe dá prazer. Não parece nem um pouco preocupada com as consequências dessas atividadades que, em geral, põem em risco toda a comunidade à qual esses jovens estão de certa forma integrados. Na verdade, eles se sentem marginalizados. Talvez por isso tanta revolta contra o sistema legal.

Todos esses jovens envolvidos em atividades proibidas acabaram encontrando na internet o grande meio de expressão que não tinham, e que “eterniza” todas as suas façanhas. Tanto assim que muitas vezes não têm sequer temor de mostrar a cara, na hora que soltam balões ou fazem pegas. As redes sociais exibem nomes de grupos como Conexão Arte (de São Gonçalo), Turma da Capa, Balão Mania, apesar de algumas comunidades do Orkut já alertarem para o risco de serem coibidas:

“O QUE A TERRA PROÍBE O CÉU AGRADEÇE. (SIC)

SOLTAR BALÕES É CRIME , CORRUPÇÃO, TRAFICO, SALARIOS BAIXOS, INSEGURANÇA , MIDIA ACUSADORA , ISSO SIM É ARTE !!!!

LEIA COM ATENÇÃO. CUIDADO COM A TROCA DE INFORMAÇÃO , EM UM REPORTAGEM NA TV , INFORMA A NOTICIA QUE O INCENTIVO A SOLTAR BALÕES ESTA CIRCULANDO LIVREMENTE NA INTERNET . POR ISSO FIQUEM ATENTOS .

ATENÇÃO PARA AS NOVAS REGRAS DA COMUNIDADE. NÃO É PERMITIDO MARCAR EVENTOS , ISSO PODE CAUSAR PROBLEMAS , POR ISSO FOI CRIADO UM TOPICO PARA MSN. NÃO SERA PERMITIDO ENDEREÇO DE EVENTOS , EXCETO FESTIVAIS E FESTAS DE PIPEIROS , CUIDADO COM PESSOAS INTERESSADAS EM COMPRAR , OU ENCOMENDAR , OU ATE MESMO PEDIR AJUDA NA CONFECÇÃO DE NOSSAS ARTES . PODE SER PERIGOSO”

Com as festas juninas, aumenta a tradição de soltar balões. Para enfrentar uma cultura que resiste à proibição, polícias florestais de todo o país fazem nessa época do ano campanhas informando que “soltar balões não é legal; é crime ambiental”. O caso do Morro dos Cabritos no Rio levou o Disque-denúncia (2253-1177) a dobrar o valor da recompensa para pistas que levem a baloeiros – R$ 2 mil reais. Espero que a iniciativa estimule informantes privilegiados que certamente passarão a denunciar turmas de baloeiros rivais.

 

 

Fonte: Pavablog

Link da Materia: http://www.pavablog.com/2010/06/23/baloeiros-desafiam-a-lei-ate-na-internet/

 


 

08/12/2011.

Polícia detém quatro baloeiros na zona oeste de São Paulo

Policiais militares detiveram quatro baloeiros na Alameda Barros, na região da Barra Funda, zona oeste de São Paulo, por volta da 1h desta terça-feira. Um balão de aproximadamente quatro metros foi apreendido com o grupo.

A polícia recebeu uma denúncia de roubo pelo 190, mas quando chegou ao local encontrou os quatro baloeiros fugindo com um balão que havia caído no telhado de uma agência bancária.

Dois homens foram detidos na rua Gabriel dos Santos e outros dois na rua Capistrano de Abreu. Eles foram levados à Delegacia de Crimes Ambientais e só serão liberados se pagarem a fiança de R$ 545, cada um.

 

Fonte: BOL Notícias

Link da matéria : http://noticias.bol.uol.com.br/brasil/2011/11/22/policia-detem-quatro-baloeiros-na-zona-oeste-de-sao-paulo.jhtm


08/12/2011

Balões liberados! Mas devem ser ecológicos

O balão, um dos principais símbolos das festas juninas, se tornou um vilão. Soltar, fabricar, vender ou transportar balões que possam provocar incêndios é crime, conforme a legislação. Mas a iniciativa de um grupo de baloeiros no Rio de Janeiro promete resgatar a tradição dos festejos caipiras sem causar danos ao meio ambiente. A alternativa adotada são os balões de ar quente aquecidos por maçaricos, também chamados de balões ecológicos.

O comandante do Batalhão de Polícia Florestal e de Meio Ambiente, tenente-coronel Mário Márcio Fernandes, alerta que para soltar os balões de ar quente é necessária a liberação do Corpo de Bombeiros, da Aeronáutica

e da Polícia Militar. Fernandes explica ainda que a Aviação Civil precisa autoriza o evento, para que não prejudique o tráfego aéreo.

“Esse tipo de balão não fere as leis ambientais. Mas é preciso ressaltar que é preciso de alvará para a realização de um evento ou de uma festa que vá ter a soltura de um balão de ar quente. Essa prática já começou a ser utilizada em cidades em que tradicionalmente se soltava balões de fogo, como São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio”, falou o comandante.

Disque-Denúncia
O Disque-Denúncia é um dos principais recursos utilizados pela polícia para chegar aos criminosos. Através do número 2253-1177, os cidadãos podem revelar as informações sem divulgar o nome.

“Os balões de fogo, além da sua dimensão, podem causar incêndio em refinarias, casas, playground, coberturas. Já soube de casos de balões com grande quantidade de carga de explosivos que explodiu em altitude baixa, caindo sobre apartamentos”, destacou o comandante do BPFMA.

Amigos do balão
O empresário Marcos Real é o presidente da Sociedade Amigos do Balão. Há cerca de um ano e meio, o grupo só solta balões de ar quente. Ele diz que confeccionar um balão pode levar até seis meses e custa pouco mais de R$ 100.

“Utilizamos cerca de quatro pacotes de resma de papel, ou seja, duas mil folhas. Primeiro o desenho do balão é projetado para um papel, depois uma maquete, e por último é desenhado na folha colorida. É uma realização ver o balão no céu”, conta o empresário.

Marcos explica que os balões abastecidos por fogo e ar quente são feitos pelo mesmo material. A diferença está na técnica de aquecimento. No legalizado, o ar é aquecido por um maçarico e o papel do topo é preto, para absorver calor. O especialista conta ainda que este tipo de balão necessita da luz solar e de condições de vento favoráveis.

Fonte: G1

Link da matéria : http://www.comandantenorberto.com.br/noticias/baloes-liberados-mas-devem-ser-ecologicos/


08/12/2011

Campanha - Não solte balões

 

 

 
Com as festas juninas, além da pipoca e do quentão, aparecem também os fogos de artifício e os balões.

 
Você sabe o que pode acontecer
quando você solta um balão?

Quando o balão cai, pode ocasionar queimadas em terrenos, pastos e matas. Com as condições climáticas que deixam o ar e a vegetação mais secos, a situação se complica. E ainda se cair em casas ou edifícios, pode causar incêndios com danos ao patrimônio e risco de morte de pessoas.

Fogos de artifício podem parecer seguros, mas nem sempre são transportados, armazenados e utilizados de forma adequada.

Nesta época do ano o número de ocorrências atendidas pelos Bombeiros aumenta consideravelmente, e a causa, em sua maioria, é a soltura de balões. Para combater esse problema, a Polícia Militar Ambiental criou uma campanha, cujo folheto segue abaixo:

 

 
Se você vir alguém soltando balões, ligue para 0800-113560 e denuncie.

 
Soltar balões, além de muito perigoso, é crime ambiental (Lei Federal 9.065/1998).

 

 

Fonte: Ambiente Bariri

Link da matéria : http://ambientebariri.blogspot.com/2011/06/nao-solte-baloes.html


08/12/2011

Prática de soltar balões pode deixar de ser crime

 

Vilão das festas juninas e principal suspeito em qualquer incêndio florestal, o balão de ar quente pode voltar aos céus do Rio de Janeiro se um projeto lei que tramita na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), for aprovado.

Além de regulamentar a atividade dos baloeiros, a proposição visa conscientizar a população de que há formas seguras de soltar balões sem prejudicar o meio ambiente, danificar a rede elétrica ou causar incêndios.

– Hoje, o Brasil é o único país do mundo onde a soltura de balões é proibida – explica Marcos Real, presidente da Associação Amigos do Balão (AAB). – Em países como Portugal, México, China e Itália, ele é reconhecido como patrimônio cultural. A pergunta que devemos fazer é a seguinte: será que todos estão errados e só nós estamos certos? Em todo o mundo existem florestas, mas só aqui todo incêndio vira responsabilidade exclusiva dos baloeiros.

 

Fonte: Jornal do Brasil

Link da matéria : http://www.jb.com.br/rio/noticias/2011/05/09/pratica-de-soltar-baloes-pode-deixar-de-ser-crime/


08/12/2011

Balões: Patrimônio cultural ou crime ambiental ?

" O balão vai subindo, vem caindo a garoa..."

 
Música: Sonho de papel (Carlos Braga e Alberto Ribeiro)

 

 

 

 
Textos dissertativos desenvolvidos em sala de aula pela Turma Alfa da Segunda Série do CFS/EEAR.

 
A atividade buscou trabalhar o conhecimento prévio que os alunos dispunham a respeito do assunto e da estrutura de um texto dissertativo. Por isso, as redações não tinham o compromisso de seguir os esquemas que são recomendados pelos professores nas aulas sobre dissertação.

 
Tema:
 

Soltar balões é uma simples manifestação cultural brasileira. Os governantes deveriam liberar essa atividade, já que sua obrigação é zelar pelo patrimônio cultural da nação (Válter Azevedo, 35 anos, vendedor).

 
Como você se posiciona com relação à prática de soltar balões nas festas juninas?
 
Alguns dos resultados estão aqui:

 
 
Perigo no ar
Al. Ágatha Brenda Rodrigues Lima (Al. 11-2100)
Turma Alfa

 
 
Soltar balões é uma cultura bastante antiga em certas regiões brasileiras. Apesar de alguns a praticarem em qualquer época do ano, ela é mais frequente no período junino. Essa prática pode até ser divertida para quem faz e solta balões ou para quem apenas observa, mas algumas vezes essa diversão pode se converter em dor e tristeza.
Um dos maiores danos que os balões podem causar ao meio ambiente são os incêndios nas florestas, principalmente em épocas de seca, podendo causar ainda a morte de dezenas de animais, dependendo da intensidade do fogo. Mais perigoso ainda é quando o balão cai em áreas residenciais, chocando-se com fios de alta tensão, provocando transtornos e/ou mais incêndios. Anualmente, há vários casos de balões que caem em residências, ferindo ou matando pessoas inocentes.
A Sociedade Amigos do Balão, sediada no Rio de Janeiro, tenta convencer a população de que se pode soltar balões com segurança. Isso porque os balões que são fabricados e soltos por tal entidade não possuem buchas incandescentes, consequentemente não oferecem o risco de um incêndio. Porém ainda podem trazer sérios problemas à aviação.
Por isso, o Governo não deve liberar a prática de soltar balões, porque, no mesmo momento em que estaria permitindo o cultivo de um "patrimônio cultural", estaria colocando em risco a vida dos cidadãos e da natureza, que são muito mais importantes.
 
 

 
 
Diversão perigosa
Aline Santos Giovannini (Al. 11-2209)
Turma Alfa
 
A prática de se soltarem balões faz parte da cultura de algumas regiões do Brasil. Passada de geração para geração, essa brincadeira arriscada é típica das festas juninas.
Os balões enfeitam o céu com as mais variadas estampas e tamanhos e enchem de admiração os olhos das pessoas que os soltam e que os contemplam, mas são um dos maiores causadores de incêndios nos meses de junho e julho.
As matas são as que mais sofrem. Nessa época do ano, em que o ar é mais seco, um balão que caia aceso numa região de mata, em poucos minutos, pode espalhar chamas por quilômetros.
Nas grandes cidades, patrimônios públicos são prejudicados, causando transtorno à população; casas são incendiadas, colocando em risco a vida das pessoas.
A aviação é outra esfera posta em risco por essa atividade; quando o balão atinge uma certa altitude, que seja rota de aviões, ele pode entrar em uma turbina e fazer com que o motor pare de funcionar, derrubando a aeronave.
Apesar de todos os riscos que a prática de soltar balões nos traz, há uma sociedade chamada Amigos do Balão, situada no Rio de Janeiro, que defende essa atividade. Seus integrantes afirmam que o balão ecologicamente correto, aquele que sobe somente com o ar quente, sem auxílio de buchas, não causa risco algum à sociedade. Porém, como pode acabar comprometendo as operações aéreas, é preciso que se façam estudos mais aprofundados sobre o assunto, para que só depois seja liberada essa prática.
 

 
 
Balões: prática ilegal
Adriano José do Carmo (Al. 11-2333)
Turma Alfa
 

Soltar balões de ar quente impulsionados por buchas é extremamente perigoso. Apesar de ser uma prática das festividades juninas, e por isso poder ser considerada um traço da cultura brasileira, ela não deixa de colocar em risco de acidentes a aviação e a vida.

Segundo o CENIPA (Centro de Investigações de Acidentes Aeronáuticos), órgão militar da Força Aérea, os balões são verdadeiras ameaças para a aviação, podendo provocar danos nas turbinas das aeronaves, colocando muitas vidas em perigo.
Existe no Brasil, na cidade do Rio de Janeiro, a Sociedade Amigos do Balão. Há uma diferença entre eles e os demais baloeiros: seus balões sobem apenas com ar quente. Analisando por esse lado, são balões que não oferecem riscos às matas, às casas e às cidades, mas para a aviação é absolutamente arriscado. Não contém bucha, porém o tamanho de sua estrutura pode chegar a parar o motor de um avião.
Há movimentos que defendem a prática da soltura de balões em áreas restritas, por exemplo, que não coloquem em xeque a vida, a aviação e a integridade dos patrimônios, soltando-os em trajetórias que não os conduzam para as cidades. Para que isso ocorra, deve-se ter a exata previsão dos ventos e se escolherem lugares que ofereçam mais segurança, como os próximos ao litoral.
Contudo, como a fiscalização é sempre frágil, não há como se fazer um controle dessa prática, mesmo com as restrições comentadas acima. Sempre existe o risco dos grupos ilegais de baloeiros, que atuam constantemente nas grandes cidades, como São Paulo. Acidentes são sempre noticiados nos meios de comunicação. Portanto, cabe à polícia e à Aeronáutica não abrirem exceções que permitam a legalização dos balões.



 
Arte criminosa
Ana Gabriela Santos Oliveira (Al. 11-2397)
Turma Alfa

 

A diversidade do povo brasileiro proporciona que sejam encontradas, em uma só nação, várias culturas. Na região Nordeste, por exemplo, assim como em outras regiões do país, os meses de junho e julho são abrilhantados por vários eventos culturais e religiosos alusivos a São João. Quadrilhas, comidas típicas, danças folclóricas são alguns desses atrativos das festas juninas; assim também a prática de soltar balões.
Os balões podem ter diversas formas e tamanhos e são levados ao céu através do ar quente resultado da queima de um combustível, como querosene ou gasolina, sobre uma estopa ou bucha. O fato de não ser tripulado permite ao balão tomar direções comandadas exclusivamente pelo vento. Tal condição, aliada ao transporte de líquido inflamável, torna essa prática algo muito perigoso. A queda de um balão representa riscos potenciais à segurança das pessoas e a propriedades. É um espetáculo interessante ver os balões colorindo o céu; contudo tal admiração termina quando são postas em perigo vidas inocentes.
Existem outras formas de preservação da cultura de nosso povo, como as quadrilhas, com coreografias e trajes que remetem aos costumes dos antepassados, apresentações teatrais e a conservação de métodos singulares de preparo de comidas características dessas festas, não sendo necessário, então, soltar balões para concretizar e perpetuar a cultura das comemorações juninas.
Os balões ocupam o espaço aéreo destinado às aeronaves, pondo em risco o bom andamento do serviço de tráfego aéreo. Além disso, a queda de um balão pode trazer transtornos ambientais com a queima de áreas florestais e demais danos associados a essa degradação. Por isso a prática de soltar balões é proibida por lei, constituindo-se como crime ambiental.
A atividade baloeira possui simpatizantes e é, de fato, uma prática que desperta a curiosidade. Porém não deve ser incentivada como uma forma de manifestação cultural, já que traz mais prejuízos que benefícios.

 


 

Tradição versus segurança
Amós Alexander de Oliveira Souza (Al. 11-2107)
Turma Alfa

 
Soltar balões juninos é uma prática muito comum em várias regiões do país. Tal brincadeira já está arraigada à cultura de muitos brasileiros, apesar de seu início não ter se dado no Brasil, e, sim, na China, há muitos séculos. Entretanto, a soltura de balões, ainda que parecendo inofensiva à primeira vista, traz consigo alguns riscos que devem ser considerados.
Tradicionalmente, balões sobem porque se utilizam do ar quente, que é mais leve do que o ar. Nesse ponto reside todo o problema, pois isso é conseguido por intermédio da queima de uma bucha, com querosene, que sobe junto com o balão. Por serem leves e não terem mecanismos de direção e controle, são levados pelos ventos a qualquer lugar, até mesmo para bem longe de onde foram soltos. Ao caírem, devido ao material inflamável que carregam, podem ocasionar incêndios, capazes de destruir parques, reservas ambientais e florestas. Caso um balão caia próximo a redes de alta-tensão, poderá causar danos e incêndios, prejudicando toda a transmissão de energia elétrica para os consumidores. Linhas de produção fabris irão interromper suas atividades, acarretando um enorme prejuízo. Não é de causar espanto que a Eletrobrás já tenha lançado campanhas advertindo sobre os balões e queimadas próximas a linhas de transmissão.
Além dos prejuízos materiais, os balões põem em risco a vida de muitos cidadãos. Caso um balão caia em alguma região densamente povoada ou até mesmo onde haja atividade humana, como fábricas, favelas, residências, galpões, entre outros, há o risco de incêndio, que pode ceifar muitas vidas completamente alheias à prática da soltura de balões. Já houve verdadeiras catástrofes assim, como a que ocorreu em 2010, que simplesmente incinerou toda uma favela em São Paulo.
Há quem defenda a soltura de balões apenas de ar quente. Tais balões são diferentes dos demais, devido ao fato de serem aquecidos ainda no solo e somente depois eles são soltos, sem auxílio de materiais inflamáveis para se sustentarem no ar. De fato, elimina-se o risco de incêndios, mas ainda há que se ponderar que mesmo eles atingem alturas consideráveis, o suficiente para adentrarem as rotas de tráfego aéreo. Ou seja, são um risco para as aeronaves, pois podem entupir turbinas ou mesmo danificar as estruturas dos aviões. Um Airbus A319 tem velocidade de cruzeiro próxima dos 900 km/h. Numa velocidade dessas, não é muito fácil desviar de algo, e o choque com algum corpo denso pode até derrubar uma aeronave, como quase ocorreu recentemente nos EUA; um simples urubu quase causou uma catástrofe.
Portanto, deve-se analisar se é válido manter uma tradição com tantos riscos para a vida. Manter uma prática só por motivos culturais pode não ser uma boa escolha. Nos carnavais, até a década de setenta, era utilizado o lança-perfume, que é tóxico e alucinógeno, mas hoje sua utilização está proibida. Briga de galos é crime ambiental, mas nem sempre foi e ainda faz parte dos costumes de várias regiões. Nossos parlamentares têm jurisprudências para analisar com cautela o caso, a fim de defender e proteger aqueles os quais representam.

 

 

É melhor prevenir do que remediar

 
Com base em seus conhecimentos de alunos especialistas de Aeronáutica, Álvaro Nebias e Aline França, ambos da 2ª série da Turma Alfa, rebatem alguns argumentos postados nos comentários da postagem anterior por meio de um texto dissertativo redigido em primeira pessoa do singular, dando, assim, continuidade à discussão sobre a prática de se soltar balões.



 

Prevenção: A Melhor Opção
Al. Álvaro Nebias - 2ª série - Turma Alfa


 

A cultura brasileira é extensa e muito diversificada. Uma tradição comum nas festividades dos meses de junho e julho é soltar balões. São artefatos de variadas cores, tamanhos e formas, muito bonitos, porém soltar balões é uma prática ilegal. Mesmo muitos alegando que eles não representam perigo, a prevenção e outras consequências mais sérias devem ser consideradas.
A prevenção é a melhor forma de se evitarem grandes problemas. Esperar o acidente acontecer para tomar alguma atitude não é a melhor opção. Incêndios causados pelo fogo dos balões e acidentes envolvendo vidas humanas são raros, porém não são impossíveis.
Muitos também alegam que os balões sem fogo são leves, que não causam danos caso colidam com aeronaves. Helicópteros, monomotores e alguns bimotores podem voar em altitudes extremamente baixas. Caso ocorra uma colisão desses balões com a hélice ou turbina dessas aeronaves, os danos podem ser fatais, por mais leves que sejam. Colisões com a fuselagem é apenas um dos diversos acidentes que podem acontecer.
Algumas pessoas dizem que certas opiniões são formadas por influência da mídia. Não sou contra os balões por coisas que ouço, e sim por análise das situações. Eu, como aluno especialista em Guarda e Segurança, sei que os riscos são grandes e que a prevenção é a melhor forma de evitá-los. A mídia não forma nenhuma opinião, e sim fornece informações para as pessoas tirarem suas próprias conclusões.
Enfim, soltar balões é uma tradição brasileira, uma prática muito prazerosa para quem vê e para quem pratica. Mas devemos considerar todas as consequências quando vamos fazer qualquer coisa, por mínimas que sejam. Nunca esperar a hora de dizer "é tarde demais".

 

Balões e seus riscos

Al. Aline França - 2ª série - Turma Alfa


 

A prática de se soltar balões é uma atividade muito comum nos meses de junho e julho, época em que se comemoram as festas juninas, as quais fazem parte do folclore brasileiro. Apesar de ser muito bonito ver os balões subindo e colorindo o céu, os balões de bucha são muito perigosos e, quando caem, podem causar destruições. Por isso, foram criados os balões de ar quente, que são muito mais seguros, porém eles ainda são um risco para a aviação.

 

O folclore brasileiro é repleto de elementos típicos que servem de símbolo para nossa cultura. Da mesma forma que os balões representam a cultura do país e simbolizam as festas juninas, fatores, por exemplo, como danças, roupas, comidas, enfeites, entre outras tradições, também constituem essas festas e são inofensivos, o que permite que continuem sendo conservados.

 

Muitos acham que, quando se fala da proibição da soltura de balões com fogo, está-se acabando com o folclore, mas não é essa a mensagem que o governo passou quando proibiu essa prática em prol da segurança de todos. Apesar dessa posição do governo, existe a Sociedade Amigos do Balão, que auxilia a prática da soltura de balões sem bucha, os quais ainda assim devem ser soltos com cautela e em áreas distantes.

 

Por morarem em cidades pequenas, e nessas cidades geralmente as leis serem mais respeitadas, algumas pessoas tiram conclusões precipitadas e afirmam que não ocorrem acidentes com balões em residências ou matas, por exemplo, em lugar nenhum do Brasil. Há pouco tempo, o Fantástico exibiu uma reportagem que falava exatamente de acidentes que ocorreram em cidades como Rio de Janeiro e São Paulo. Mas esse tipo de acidente não ocorre somente nessas cidades, pode acontecer em qualquer outro lugar. Por isso deve-se proibir a prática de se soltar balões, exatamente pela razão de não se querer ferir alguém ou destruir a natureza. Nos dias em que vivemos, vários fatos são muito mais perigosos que a queda de um balão em um lugar desapropriado, como bala perdida, falta de amor ao próximo, políticos corruptos, entres outros, mas não precisamos deixar que os balões sejam mais um motivo para destruir a sociedade.


Hoje em dia, a aviação está muito modernizada, mas ainda não foi inventada uma forma de se controlarem balões desabitados, por isso os balões, mesmo que sejam de ar quente, continuam sendo um risco para o controle de tráfego aéreo. E como controladora, posso dizer que os balões são tão perigosos como uma colisão com um pássaro ou com outra aeronave. A maioria dos controladores opera com mais de dez pontos na tela do radar; se aparece mais um ponto não identificado e que não pode ser controlado, a probabilidade de ocorrer uma colisão é muito alta, pois o balão pode ser sugado por uma turbina, por exemplo, e isso resultaria na queda do avião e na morte de centenas de pessoas. A velocidade de um avião é muito alta, e não há condições de uma aeronave de grande porte, principalmente, fazer uma manobra para contornar um balão; isso seria muito perigoso para a aeronave.

 

Enfim, a soltura de balões com bucha é crime e proibida por lei. O fato de, com a criação do balão de ar quente, a prática ser autorizada desde que seja supervisionada, controlada e em área reservada não elimina os riscos para a aviação. Não se pede que termine com o folclore, e este não deixaria de existir por causa da ausência do balão. Não é necessário fazer do balão mais uma causa para a destruição da sociedade, morte de pessoas e animais e destruição da natureza. Quanto menos fatores existirem para contribuir com essas destruições, melhor o Brasil pode ficar

 

Fonte: Letras e Artes

Link da matéria:http://letraseeartes.blogspot.com/Bal%C3patrim%C3%B4nio%20cultural%20ou%20crime%20ambiental%3F


08/12/2011

Reflexões etílicas sobre o Cotidiano

 

Dá série: preconceito ou como falar sobre o que não se sabe

 
   
 

Luís, vem que eu to puta e quero um goró dos bons!

 

Há mais de um ano não passa um dia que eu não pense em balão. Não porque eu curta ser uma "criminosa" como muita gente gosta de dizer por aí, mas porque foi esse o tema escolhido pro nosso TCC. Tudo começou numa conversa despretensiosa a bordo do bom e velho Ana Rosa rumo a nossa querida Casperê Liberando. Yo e Carolis falávamos sobre possíveis temas e (en) calhamos nos balões. Ganhamos mais dois companheiros de empreitada e seguimos literalmente estrada a fora de olho no céu.
 

Meu pai foi baloeiro, bem antes de eu nascer, e por isso eu cresci ouvindo histórias de balão. Nada de queimadas, bandidagem, vagabundice e outros adjetivos que costumam acompanhar o tema. Balão é perigoso? É, mas pra quem não sabe soltar, é irresponsável e etc. Tem mil poréns, mil mas e entretantos e portantos nessa história que não vem ao caso. É uma lei que proíbe pela hipótese! Claro, vou lá sair prendendo um monte de gente que eu acho que tem perfil de assassino, só para garantir. Não abrirei espaço para discussões e regulamentações.
 

Cansei de ouvir que é crime, que não presta, que isso e aquilo. Porra! É foda. Incrível como tem gente que adora abrir a boca pra falar o que não sabe! As pessoas não tem um pingo de conhecimento e partem de um senso comum de araque, do que elas veem na mídia e querem opinar ou, na grande maioria das vezes, só destratar e xingar. Nunca sofri tanto preconceito por causa de uma opinião - e olha que nem balão eu faço. Tudo isso apenas por compartilhar uma teoria diferente da grande maioria: balão não é bandido! Balão não mata gente, não derruba avião, não estupra criancinha e não vende droga.
 

Parece que ninguém mais se lembra que nos anos 70/80 soltar balões era uma atividade comum. Ser baloeiro era um status e a festa junina era uma das épocas mais esperadas pelo ano. Os bairros viviam em comunidade, se juntavam nas ruas para ver eles subirem. Havia festivais, turmas e mais turma, que hoje tiveram que cair no anonimato. O Brasil é referência mundial no assunto, mas aqui é proibido. Enquanto em outros países, os chamados desenvolvidos, como Itália e França, não são apenas legalizados, como contratam brasileiros para produzir e soltar balões em seus países. O México é outro exemplo: grandes prêmios em dinheiro são oferecidos em festivais de balão! É uma arte milenar e apreciada, mas - como sempre - não sabemos valorizar o que temos de melhor aqui.
 

Nos últimos meses eu só conheci pessoas completamente apaixonadas por uma arte proibida. O maior gosto delas é colar papel, desenhar, pensar num projeto e sonhar de olhos abertos olhando pro céu. É clichê? Pra caralho! Mas quem se importa? O cara tem um sonho, uma admiração... Uma paixão! E é o tipo de coisa que não tem razão ou explicação. Você gosta e ponto final. E é complicado você viver na clandestinidade porque uma lei idiota e uma sociedade preconceituosa não enxerga que há possibilidades pra tudo.
 

Quantas pessoas morrem no trânsito POR DIA? Eu não vou pesquisar estatísticas, mas eu poderia afirmar que com certeza é mais de uma. E o balão, quantas pessoas ele mata? Ah, ok... é um crime ambiental. Qual o problema em legalizar, estabelecer normas e padrões, avaliar locais para soltura e identificar turmas? Assim os responsáveis serão punidos e todo mundo fica feliz! É de uma hipocrisia sem fim todos os anos ver decorações de festa junina com balõezinhos, crianças na escola aprendendo a desenhar eles e nos céus serem proibidos!
 

Balão é uma arte, é uma tradição familiar e é triste ver isso sendo jogado no lixo por um bando de desinformados. É incrível você ir todos os dias para uma faculdade de jornalismo, durante quatro anos, onde a Santa Liberdade de Expressão senta seu traseiro gordo no altar da charlatanice cultuado por alguns professores. Esses, um ou dois, que eu apontaria como as pessoas mais babacas que eu encontrei na vida. Gente que se diz jornalista, mas não checa um fato antes de abrir a boca imunda pra falar da atividade alheia. Não sabe que balão nunca derrubou avião. Aliás, se for comparar, quantas pessoas o tal "meio de transporte mais seguro do mundo" não matou em acidentes? Ah, foram exceções! Ué, balão que pega fogo também é exceção... nem por isso vi geral querendo proibir aviões de voar.
 

Cem por cento dos baloeiros que eu conheci soltam balões porque eles amam a sua arte, não para enfrentar uma lei capenga ou a sociedade. Mas, para enfeitar o céu com o que eles chamam de sonho, magia, fantasia e felicidade. Assim como eu e meu grupo falamos de balões não porque é a nossa arte. Mas, pelo prazer de calar a boca de todos os preconceituosos que encontramos e continuaremos a encontrar pelo caminho.


 
Obs: A vida como ela é: tive que jogar "balão proibido" na busca do google para encontrar alguma imagem.

 

Fonte: Papo Pinga e Petiscagem

Link da matéria : http://papopingaepetiscagem.blogspot.com/2011/08/da-serie-preconceito-ou-como-falar.html


08/12/2011

Balão quase causa tragédia na Barreirinha (Paraná)

 

Um balão de grande porte caiu na manhã de ontem, próximo ao Parque São Lourenço, e assustou moradores da Barreirinha. Embora ninguém tenha ficado ferido, houve danos em telhados de residências e em parte da fiação elétrica.

Na queda, uma forte chama se acendeu na esquina da Avenida Anita Garibaldi com a Rua Reverendo Bráz Hernandes, mas o fogo foi apagado pelos próprios moradores. De acordo com os bombeiros, o balão, construído com bambu e seda, tinha altura de 28 metros e aproximadamente 50 metros de diâmetro.O cabo Moresqui, do 20.º Batalhão da Polícia Militar, contou que o balão caiu de lado e foi se enroscando nos telhados e nos fios de luz. “A bandeira do balão se espalhou por mais de cinquenta casas, causando danos a algumas delas e à rede elétrica. Também atrapalhou o trânsito na região, além do susto”, acrescentou.

O policial lembrou que soltar balões é crime ambiental, com pena que pode chegar a três anos de detenção. “Já recebemos informações das placas de veículos envolvidos com o crime e fotos de suspeitos. A população foi orientada a entrar com ação de ressarcimento pelos danos causados”, afirmou Moresqui.

 

Fonte: Tribuna do Paraná